Aforismos e Cenas

Prémio Carreira: António Carriço 

Conheci António Carriço demasiado tarde, quando andava atrás da maravilhosa variedade de arroz Allorio, um carolino antigo de Montemor-o-Velho. Já no final da reportagem, depois de perceber que a indústria se estava a borrifar para o seu desaparecimento, cheguei ao contacto com ele, através de uma amiga. António Carriço, produtor histórico do Baixo Mondego, luta há vários anos pelo regresso do Allorio, pela preservação de arrozais sustentáveis e pela melhoria de condições dos trabalhadores do sector.

Até 2005, trabalhou na estruturação e manutenção de solos agrícolas do Vale do Mondego, com obra feita em mais de 5.000 hectares. Foi, também, fundador, diretor e presidente de diversas associações e cooperativas do setor. Em 2005, rumou a Angola e até 2020 dedicou-se à produção no Bié, região do N’Gando, Angola. De regresso a Portugal, estabeleceu-se na Quinta do Seminário, cujos arrozais em redor foram desenhados por si, no belíssimo Vale do Pranto. Quando o visitei, em Outubro deste ano, deu-me a provar o carolino da Quinta do Seminário — e eu nunca mais quis outra coisa. 

0 comments on “Prémio Carreira: António Carriço 

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

%d bloggers gostam disto: